O primeiro passo é definir qual é o seu objetivo ao praticar uma atividade física!

veja alguns vídeos de cada atividade, clique no link abaixo:
.
.
A oferta atual de aulas de ginástica e exercícios é tão grande que as propostas de resultado das modalidades por vezes acabam se perdendo num mar de informações que chega aos interessados. Afinal, qual escolher? O primeiro passo é definir qual é o seu objetivo ao praticar um esporte: emagrecer? Ganhar massa magra? Qualquer que seja sua resposta, provavelmente vai passar pela sua cabeça optar pela clássica musculação, pelo mais recente queridinho das academias, o treinamento funcional, ou pelo badalado pilates, três das práticas mais difundidas hoje em dia. Uma das mais frequentes interrogações atualmente é o que as diferencia e o que as assemelha.

Pilates, treinamento funcional e musculação podem ser a chave para um corpo seco e malhado (Foto: Shutterstock)
Pilates, treinamento funcional e musculação podem ser a chave para um corpo seco e malhado

Para acabar de vez com a dúvida, descubra a seguir o que cada um dessa tríade pode fazer pelo seu corpo:

.
Pilates – “A metodologia é baseada no controle da respiração e alinhamento da coluna através do fortalecimento de músculos profundos do tronco e abdome”, explica Rafael Lund, personal trainer caricoca resonsável pelo corpo em forma de várias globais. Ótima opção para quem já está no peso ideal e busca apenas tonificar os músculos (sem almejar curvas de mulher-fruta), já que ele define abdome, glúteos e pernas. “Com aparelhos, o resultado é melhor porque dá para aumentar a sobrecarga e dificultar os exercícios”, diz Isaias Lemes, professor da academia Bio Ritmo.
.
Musculação – Atende a todos os interesses, já que os efeitos dependem do número de repetições e peso das cargas: quanto maior o número de repetições e menor a carga, mais vai beneficiar quem quer secar, já que queima um maior número de calorias e ajuda a ficar durinha sem ganhar mais bumbum, por exemplo. Já o contrário – um treino menos repetições com mais peso – incentiva o aumento de volume dos músculos e ganho de massa magra. É a técnica que acaba dando os resultados mais rápidos. “Se o objetivo do cliente for hipertrofia, acho muito difícil conseguir com qualquer outra forma de atividade resultados tão expressivos como os da musculação convencional”, explica Rafael. “Utilizam-se pesos de maneira progressiva, então sabemos exatamente o resultado que teremos ao aplicar cada carga e, por isso, conseguimos determinar diversos programas. Esta forma de treinamento físico pode ser utilizada para fins atléticos, estéticos e de saúde”, completa Rafael. “O treino da Flavia Alessandra, por exemplo, sempre inclui alguns exercícios de musculação especialmente para reduzir os desconfortos que ela tem em algumas articulações”, exemplifica.
.
Treinamento Funcional –  Vários dos objetivos desse método de exercício representam uma volta à utilização dos padrões fundamentais do movimento humano (como empurrar, puxar, agachar, girar e lançar) integrando o corpo todo. A forma com que os exercícios são realizados nos aparelhos convencionais de musculação reduzem a exigência da coordenação e estabilização que o exercício livre exige, pois estes aparelhos já servem como estabilizadores das articulações. No treinamento funcional o trabalho muscular não é realizado isoladamente, isto é, os exercícios são executados de forma global (forma em que a musculatura é exigida nos movimentos do dia-a-dia ou de um esporte específico). Assim, toda a cadeia muscular é fortalecida, gerando mais força, potência muscular, estabilidade, equilíbrio e coordenação motora.
.
O que o Pilates e Treinamento Funcional tem em comum?
Ambas modalidades solicitam em todo momento o Core, que é um conjunto de músculos importantíssimos, são os mobilizadores (maiores) e estabilizadores (menores, mais profundos) do tronco. O fortalecimento destas musculaturas do centro de força ou power house, como chamado pelo criador Josef Pilates e atualmente denominado de Core é de fundamental importância para a prevenção e alivio de dores na coluna, melhora na postura, para o movimentar-se das tarefas diárias, evita também a incontinência urinária.
.
Qual a diferença entre o Pilates e o Treinamento Funcional?
O Pilates é uma atividade física que busca proporcionar ao aluno condicionamento físico juntamente com um bem estar, respiração e consciência corporal, qualidade de movimento, os exercícios não oferecem impactos articulares e são de intensidade moderada, não foca o emagrecimento.
O treinamento funcional também visa o condicionamento físico, porém é mais dinâmico, os exercícios são mais intensos podendo ser na maioria das vezes movimentos rápidos, explosivos, c/ potência, alguns com resistência e sobrecarga considerável e tem melhor resposta para o emagrecimento.
.
.
O ideal? Uma mistura das modalidades. É muito comum, atualmente, profissionais misturarem as técnicas para atingir o resultado esperado por seus alunos.
.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s