asma PILATES

Asma é uma doença crônica e inflamatória do trato respiratório, onde a sua base é de origem alérgica. É caracterizada por obstrução ao fluxo aéreo que varia marcadamente, tanto espontaneamente quanto com o tratamento. É mais frequentemente associada com início na infância, presença de reações atópicas prévias e uma história familiar de atopia ou asma. A apresentação clínica inicial varia, mais frequentemente com sintomas intermitentes, embora algumas vezes com sibilos, tosse ou dispneia constantes (falta de ar). A presença de sibilos na expiração (chiado) é o sintoma clássico, mas alguns pacientes se apresentam primariamente com tosse, especialmente noturna. Os sintomas aumentam tipicamente com exposição a alérgenos e outros fatores, tais como infecções virais do trato respiratório superior, pólen, ácaros da poeira, pelos de animais, irritantes ambientais (mais comumente a fumaça de cigarro), ar frio e, em alguns casos, a prática de exercícios físicos que exigem vigor.

A asma é uma doença que não tem cura, mas com o tratamento adequado pode ser devidamente controlada, permitindo ao paciente levar uma vida normal adotando a prática de exercícios físicos.

O tratamento medicamentoso, a salubridade ambiental e a psicoterapia tratam das causas da crise asmática, contrapondo-se à atividade física que se orienta em função dos danos físico-orgânicos e sociais que podem ser causados pela doença. Desta forma, entende-se assim que o empenho em programas de atividades físicas não exclui o tratamento medicamentoso e à assiduidade ambiental, ao contrário, complementam-se.

Uma forma inovadora de tratamento dos asmáticos é o método Pilates, em que os exercícios estão concentrados respiração costo-diafragmática. O Método foca a relação entre o corpo e a disciplina mental, visa prosperar a saúde e o bem-estar pelo enfatizar da boa postura, do alinhamento corporal e da coordenação da ventilação com o movimento.

O trabalho abdominal e diafragmático é essencial nesses alunos. A prática do método auxilia no condicionamento muscular e melhora a oxigenação trazendo alívio nos sintomas da asma.

É de extrema relevância treinar a respiração a ponto de o indivíduo realizar esta de forma bastante consciente, pois quanto maior o controle desta, melhor será a percepção dos efeitos do Pilates e melhor será o controle dos sintomas da asma.

A prática favorece o fortalecimento e alongamento dos músculos aumentando a mobilidade das articulações, os movimentos são realizados sem pressa e com controle.

Em cada exercício é necessário o alinhamento na postura favorecendo a melhora da postura integral do indivíduo.

No indivíduo que apresenta asma o pilates colabora com o fortalecimento da musculatura corporal, isso deixa o músculo relaxado promovendo uma reeducação funcional e na postura.

Um estudo realizado em 2011 (Montes, 2011) identificou que indivíduos asmáticos controlados possuem características de controle motor, especificamente no timing de ativação de alguns músculos (Eretor da Coluna, Multífidos, Transverso/Oblíquo Interno e Diafragma), e valores de parâmetros ventilatórios diferentes em comparação aos indivíduos sem a doença. Após realizar 8 semanas de Pilates verificou-se que os indivíduos asmáticos tiveram influências positivas nesses itens avaliados, diminuindo o tempo para ativar os músculos avaliados, e aumentando o débito expiratório máximo instantâneo, a ventilação máxima voluntária e a pressão expiratória máxima.

 

O programa de atividade física conduzido ao portador de asma baseia-se na realização de condições imprescindíveis, pontuadas a seguir:

– Reeducação respiratória:
São preconizados exercícios de desbloqueio torácico, com o objetivo de aumentar a mobilidade costovertebral, pela rigidez torácica habitualmente presente nesses indivíduos. Sabe-se também que esses exercícios promovem suporte psicológico e diminui consequentemente, a ansiedade.

– Reeducação postural:
Considerando que as alterações posturais interferem diretamente na mecânica respiratória e o contrário, as alterações respiratórias modificam a postura, temos na asma uma sobreposição de efeitos danosos. Desta forma, torna-se necessário um trabalho com exercícios posturais, baseado na tomada de consciência sobre o controle, a manutenção e as mudanças das posturas corporais.

 

Os benefícios para quem apresenta asma e adota o pilates como atividades físicas são refletidas: no fortalecimento dos órgãos internos, melhoram na respiração, correção e alinhamento da postura, aumento da resistência física e mental e aumento da concentração e relaxamento.

A prática de atividade física favorece a qualidade de vida e proporciona bem estar, sendo um importante aliado para o equilíbrio entre corpo e mente.

 

Fonte:

http://hdl.handle.net/10400.22/1953

Przegl Lek. 2008;65 Suppl 2:9-11. PubMed

http://revista.hupe.uerj.br/detalhe_artigo.asp?id=394

http://www.blogstudiopilates.com.br/o-tratamento-da-asma-e-o-pilates/

http://www.fisioterapiaosteopatia.com.br/noticias/item/62-pilates-como-auxilio-no-tratamento-de-asmaticos

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s