ROMANA KRYZANOWSKA

(1923 – 2013)

aboutus--element67.jpg

Romana era uma jovem bailarina da School of American Ballet, na ocasião, tinha lesionado seu tornozelo e não podia mais dançar. Na época ainda não haviam especialidades como a fisioterapia e a medicina esportiva, assim a única alternativa para os problemas ortopédicos era a cirurgia, mesmo assim sem consistir em técnica refinada. Foi apresentada à Joseph Pilates por George Balanchine com o intuito de que os exercícios poderiam ajudá-la a se recuperar da lesão como alternativa à cirurgia. Assim Romana passou a fazer aulas com Pilates e quando retornou às aulas de ballet, notou que tinha mais força, equilíbrio corporal e domínio de seus movimentos, além de estar totalmente recuperada. Foi nomeada “ajudante” o que a isentou do pagamento das aulas. Tornou-se aluna de Pilates e, posteriormente, professora. Trabalhou com Clara e Joseph Pilates no estúdio em Nova York e passou a ter direito a cinqüenta por cento (50%) da renda. Após o falecimento de Clara Pilates, Romana, segundo seu depoimento, recebeu os direitos de uso da metodologia, assim como anotações, fotos e manuscritos relatando as investigações de Pilates, enfim, todo seu trabalho. Responsável por honrar a integridade do Método, foi fiel aos seus ensinamentos até o final dos seus dias tendo formado novos instrutores nos mais diversos países. Publicou três livros em co-autoria com Sean Gallagher: The Joseph Pilates Archive Collection: Photographs, Writings and Designs, The Pilates Method of Body Conditioning e The Complete Writings of Joseph H. Pilates.
Fonte: http://www.aguiaparda.com.br/romana.html

 

Agora veja a entrevista com Cathy Barker Strack, professora de Pilates e biógrafa de Romana Kryzanowska

Querida Cathy, você está fazendo pesquisas sobre a vida de Romana Kryzanowska há vários anos e você está escrevendo um livro sobre ela – Estou tão animada para poder falar com você sobre ela!
Posso primeiro perguntar-lhe como você se interessou tanto pela vida de Romana? Quando você decidiu escrever sua biografia?

Como professora de Pilates, fiquei curiosa sobre a história do método. Romana destacou-se como uma das pessoas mais importantes ainda ensinando e treinando na época. Histórias sobre seu ensino são tão lendárias quanto as de Joseph Pilates. Embora houvesse alguma informação sobre a vida pessoal de Joe, havia muito pouco sobre a vida de Romana. Uma de minhas clientes, Carol J. Craig, também se interessou em me ajudar a aprender mais sobre a Romana. Carol tem um fundo em geneaologia e ela foi capaz de encontrar algumas informações interessantes sobre os pais de Romana e avós. Os pais de Romana eram artistas em Detroit e Romana nasceu na cidade próxima de Farmington, Michigan. O fato de que era levaria somente três horas dirigindo até Michigan para fazer mais pesquisa nos ajudou facilmente a ter mais informação.

Passávamos uma hora da aula da Carol falando sobre as coisas que encontramos sobre Romana e sua família. Como o fato de que sua avó paterna era uma baronesa, seu avô materno possuía uma companhia de carrinho e carruagens e inúmeras histórias sobre as aventuras selvagens de seus tios e tias em ambos os lados da família. Todas essas pessoas influenciaram quem Romana veio a ser como uma filha, mãe, professora e amiga de muitos ao redor do mundo. Em algum momento, Carol e eu apenas olhamos um para o outra e percebemos que alguém precisava contar a história de Romana. Por que não nós ?! Nosso próximo passo foi ir à família de Romana e pedir permissão. Eles deram sua permissão e nós fomos correndo. Sua história não poderia ser contada sem sua bênção e ajuda. Tem sido cerca de 5 ou 6 anos de pesquisa e o ano passado de escrita.

Você pode nos contar sobre a primeira vez em que a jovem bailarina de ballet Romana conheceu Joseph Pilates?

Não houve muita informação nova para contar realmente. Romana contou esta parte de sua história tantas vezes. Ela estava dançando na escola Balanchine, tinha um tornozelo ferido, e foi levada para ver Joe, a fim de ajudá-la a se recuperar. Joe reconheceu seu talento em aprender e demonstrar seus exercícios. Infelizmente, Romana não apreciou plenamente o trabalho que ela estava fazendo na época. Ela não queria desapontar seus professores e sua mãe, então ela fez o que lhe disseram. Como uma adolescente idealista, ela se viu como uma dançarina, aspirando a maiores papéis no palco. Ela só queria dançar.

Romana desenvolveu uma paixão pelo método de Pilates e executou os exercícios de uma maneira maravilhosa muito rapidamente. Há grandes filmes dela trabalhando fora no estúdio de Pilates no início dos anos 40.

Você pode nos dizer, se foi difícil para ela sair, quando ela decidiu ir para o Peru com seu marido Pablo Mejia em 1944? Ela ficou em contato com Joe e Clara?

Eu não acho que foi difícil para ela sair. Ela era jovem e impulsiva. Sua mãe e seu padrasto a apresentaram a Pablo Mejia, que era muito carismático e rico. Ele lhe prometeu uma vida de luxo que incluiu abrir seu próprio estúdio de dança no Peru. A maioria de sua família deu sua bênção e ela estava em uma vida melhor do que ela teria em Nova York.

Ela continuou a se concentrar na dança e Pilates foi um meio para fazê-la dançar melhor. Por causa disso eu acredito que eles permaneceram em contato. Quando ela teve seus filhos, ela precisava da ajuda de Joe com exercícios para ajudá-los a desenvolver e crescer. Sua filha Sari, em particular, tinha sofrido uma doença que exigia exercícios de Pilates para ajudá-la a se recuperar completamente.

Depois que Romana Kryzanowska retornou aos Estados Unidos em 1958, ela logo se tornou uma figura muito importante no Studio Pilates. Você pode nos contar mais sobre seu papel no estúdio nesse período?

Acho que no começo seu papel foi muito sutil. Ela precisava ganhar a vida e sustentar sua família. Isso significava pegar trabalhos ensinando balé e ensinando Pilates ao lado. Em um ponto combinou os dois mundos quando Clark Center (para a dança) alugou um espaço no edifício de Pilates, então ela trabalhou para ambos. Uma vez que ela voltou do Peru, ela nunca mais deixou Pilates novamente. Estava sempre lá para ela, o trabalho em seu corpo e o trabalho para ganhar a vida. Enquanto seu primeiro amor era a dança, eu não acho que era tão lucrativo.

Depois que Joseph Pilates morreu em 1967, Romana assumiu seu estúdio. Há uma discussão, se Joseph Pilates viu Romana como sua sucessora ou não. Na minha opinião, não, embora ele tivesse trabalhado tão próximo a ela, porque ela era uma mulher. O que você acha?

Uma das coisas interessantes que eu descobri em minha pesquisa é que Joe tinha muitas esperanças de que muitas outras pessoas assumissem o estúdio. E isso começou a acontecer já no final da década de 1930. A questão não é tão simples como quem deveria assumir o estúdio.

 

FONTE: https://pilatesbiography.wordpress.com/2017/05/14/strong-women-2-romana-kryzanowska/

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s